Curso Poéticas do Delírio, Escritas Delirantes,

unnamed (1)Local: livraria Sebinho, 406 bloco C Asa Norte,

Datas: Às segundas-feiras, das 19h às 22h, em setembro, dias 3, 10, 17 e 24.

Investimento: R$ 300,00.

Inscrições e informações: Adeilton (61) 99239 – 9644 ou adeiltonator@hotmail.com

Curso:

Com Adeilton Lima – Ator, poeta e diretor teatral com doutorado em Artes pela UnB.

Poéticas do Delírio – Escritas Delirantes (teatro, cinema e literatura)

Antonin Artaud e Glauber Rocha

O curso tem por base a tese de doutorado na qual proponho um diálogo estético, poético e discursivo entre dois grandes artistas do teatro e do cinema no século XX, cujas obras continuam referenciais em nossos dias, Antonin Artaud e Glauber Rocha. Parto das análises do pensador francês Jean-Jacques Lecercle sobre o conceito de delírio/délire na criação artística em articulações com outros grandes estudiosos como Jacques Derrida, Gilles Deleuze, Pier Paolo Pasolini e Susan Sontag, entre outros. vamos juntos? Evoé!!!

O curso é um recorte da pesquisa de doutorado intitulada Glauber Rocha: Crueldade e Delírio. A Terceira Margem da Película – Diálogos com Antonin Artaud, realizada por mim, Adeilton Lima, poeta, ator e diretor teatral, que representa o fechamento de um longo ciclo iniciado nos idos de 1992 quando comecei os estudos sobre a obra do teatrólogo francês Antonin Artaud. Fechamento, no entanto, que implica na abertura de novos ciclos entre a coxia e o palco, entre o ator e a plateia, entre a teoria e a prática. Tais estudos têm por objetivo ampliar e aprofundar as relações que identificamos entre as propostas estéticas, linguísticas e poéticas do teatrólogo francês Antonin Artaud e a cinematografia do cineasta brasileiro, líder do movimento conhecido como Cinema Novo, Glauber Rocha, na década de sessenta, diálogo estudado e defendido também na dissertação de mestrado concluído na UnB, 2007, com o título A Estética Teatral no Cinema de Glauber Rocha, Antonin Artaud e Bertolt Brecht.

Nosso interesse, agora, neste trabalho realizado no doutorado, na UnB, a partir do livro do filósofo francês Jean-Jacques Lecercle, Philosophy Through the Looking-Glass, e do conceito de délire, no qual um dos objetos de análise refere-se a Artaud, é abordar e aprofundar a análise das obras de ambos os artistas sob novos enfoques tanto no trabalho cênico quanto em seu arcabouço teórico e filmográfico. Essa investigação, inédita, traz novas possibilidades de análises e estudos sobre a obra de Glauber Rocha, identificando-o como um artista filiado à poética da crueldade e do délire artaudianos. Partimos, portanto, das premissas lançadas por Lecercle:

Délire que não é apenas delírio: tanto um conceito, amplamente utilizado na filosofia francesa contemporânea (temos de nos perguntar como um termo psiquiátrico pode tornar-se um conceito filosófico), como uma tradição, um corpus de textos delirantes (produzidos não apenas por doentes mentais, mas também poetas, romancistas ou linguistas) e de análises do délire (na linguística, na psicanálise, na filosofia).” (LECERCLE, 1985, p. 3)

            Entre a poesia, o teatro e o cinema, como tais processos “delirantes” são canalizados para a criação artística. Fundamentalmente, como a poética nasce e estrutura tais estéticas. As articulações teóricas, artísticas e discursivas se darão com outros autores, tais como Gilles Deleuze, Jacques Derrida, Pier Paolo Pasolini, Susan Sontag e Jean-Michel Rey, entre outros, este último especificamente sobre o nascimento da poesia de Antonin Artaud.

            Os principais pontos a serem abordados são:

– Poesia, delírio, carnavalização, esquizofrenia, corpo sem órgãos, estética, linguagem, crueldade, teatro e cinema.

            A dinâmica das aulas se dará com análises de filmes e debates textuais.

Bibliografia Básica

ARISTÓTELES. Poética. Trad., prefácio, introdução, compêndio e apêndices de Eudoro de Sousa. 4. ed. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1994. (Coleção Estudos Gerais/Série Universitária);

BORNHEIM, Gerd. Brecht, a estética do teatro. Rio de Janeiro: Graal, 1992.

GOMES, João Carlos Teixeira. Glauber rocha, esse vulcão. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1997.

PEIXOTO, Fernando. “O teatro de brecht aqui hoje”. In: Bader, Wolfang (org.). Brecht no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

STAM, Robert. Introdução à teoria do cinema. Trad. Fernando Mascarello. São Paulo, Papirus Editora, 2003.

Bibliografia Específica

ARTAUD, A. O teatro e seu duplo. Trad. Teixeira Coelho. São Paulo: Max Limonad, 1984.

_________. Escritos de Antonin Artaud. Col. Rebeldes Malditos. Tradução de Claúdio Willer. Porto Alegre: L&PM, 1993.

_________. El cine. Madri: Alianza Editorial, 2002.

BAKHTIN, M. A cultura popular na idade média e no renascimento. Ed. Hucitec, São Paulo, 2008. São Paulo: Ed. Hucitec, 2008.

DELEUZE, G. Lógica do sentido. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2011.

DERRIDA, J. A escritura e a diferença. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2009.

FINK, B. O sujeito lacaniano. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 1995.

GARDIES, R. Política, mito e linguagem. In: Glauber Rocha. Coleção Cinema, Vol. I. São Paulo: Paz e Terra, 1977.

LECERCLE, J. J. Philosophy through the looking glass. Illinois: Library of Congresse, U.S, 1985.

REY. JEAN-MICHEL. O nascimento da poesia de antonin artaud. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2002.

ROCHA, G. Revolução do cinema novo. Rio de Janeiro: Ed. Alhambrama/Embrafilme, 1981.

PASOLINI, P.P. Empirismo Herege. Ed. Assirio & Alvim, 1981.

SONTAG, S. Sob o signo de saturno. Porto Alegre: Ed. L&PM, 1986.

XAVIER, Ismail. Sertão mar. glauber rocha e a estética da fome. São Paulo: Brasiliense,1983.

_________. O discurso cinematográfico. SP: Ed. Paz e Terra, 2005.

ZUMTHOR, P. Performance, recepção e leitura. São Paulo: Ed. CosacNaify, 2007.

Filmes e Peças

1) Espetáculo Para Acabar com o Julgamento de Deus, de Artaud – https://www.youtube.com/watch?v=eoCrrZUmszU&t=291s; (Acesso: 13/04/2015)

2) Espetáculo A Conferência.

A Conferência: https://www.youtube.com/watch?v=dDv2hfELl4A&t=43s (Acesso: 12/07/2016)

3) Vento do Leste, de Jean-Luc Godard (1970)

https://www.youtube.com/watch?v=KzIIclcK0pY  (Acesso: 01/02/2018)

4) Di- Glauber (1977)

https://www.youtube.com/watch?v=mTaPy0VkK8g (Acesso: 15/05/2018)

5) Barravento, de Glauber Rocha (1961)

https://www.youtube.com/watch?v=sy60bm2Cn04&t=3081s (Acesso: 13/05/2018)

6) Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha (1963)

https://www.youtube.com/watch?v=mS81fFWbJCY&t=100s (Acesso: 13/05/2018)

7) Terra em Transe, de Glauber Rocha (1967)

https://www.youtube.com/watch?v=zYQecb9C0g4&t=86s (Acesso: 14/05/2018)

8)  Dom Quixote de Orson Welles

https://www.youtube.com/watch?v=ixfgqxjjjC4 (Acesso: 04/05/2016)

9) Glauber Rocha, Labirinto do Brasil, de Silvio Tendler (2003)

https://www.youtube.com/watch?v=XHPj-CEoLzI&t=1613s (Acesso: 05/05/2018)

10) Programa Abertura: https://www.youtube.com/watch?v=bjPOwC7xO98