Lançamento do livro “Os porquês da educação domiciliar no Brasil”

arte para o evento - médio_Prancheta 1 (1)Autor: Alan Rios
Data: 10/11/2018
Horário: 18:30 hrs

Entrada Franca!

Um dos temas mais comentados no campo educacional em 2018 foi, sem dúvidas, a educação domiciliar, um modelo pedagógico que foge completamente do padrão, em que os alunos estudam em casa, fora da escola. O assunto é polêmico: enquanto alguns defendem a eficácia desse ensino, outros criticam duramente.
Pensando nisso, o jornalista e escritor Alan Rios produziu um livro-reportagem sobre o homeschooling. “Eu entrevistei duas famílias, uma que aplica e defende a educação domiciliar, e outra que defende a educação tradicional, dentro da escola, e é totalmente contra o homeschooling. Com isso, o leitor pode conhecer melhor cada um desses métodos e formar uma visão mais ampla sobre esses dois modelos de ensino”, contou Alan Rios.
Descrevendo a rotina diária das famílias, o autor levanta discussões sobre as questões psicossociais do ensino e sobre contextos culturais, econômicos e históricos que ajudaram a educação domiciliar crescer 136% no Brasil em dois anos. A importância da discussão do tema foi refletida até mesmo no Superior Tribunal Federal.
Em setembro deste ano, o STF discutiu se o homeschooling era amparado pela Constituição. Apesar do parecer negativo, para a maioria dos ministros presentes na decisão o Brasil ainda pode regulamentar a prática nos próximos anos, a partir da aprovação uma lei específica sobre esse modelo de ensino.
O livro será lançado pela editora Art Letras, no dia 10 de novembro, na Livraria Sebinho. No coquetel de lançamento estarão presentes Alan Rios e Renata Giraldi, orientadora do trabalho que era inicialmente um TCC, apresentado na Universidade Católica de Brasília. Ambos comentarão a obra e o tema. Alan é repórter especial do Correio Braziliense, e Renata é gerente de Redação da Agência Brasil de Comunicação (EBC).

meSobre o autor

Jornalista, pela Universidade Católica de Brasília, e escritor, Alan Rios é filho de professores e encontrou na comunicação meios de se relacionar com a área da educação.
Foi um dos autores da obra “Educomunicação – Sua imagem está na tela”, onde pôde registrar resultados da sua experiência como pesquisador do Fundo de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal. Com 22 anos, Alan ainda é repórter especial do Correio Braziliense, onde já escreveu para a Revista do Correio e para a editoria de Cidades.